Este texto correu a internet por mail e ainda subsiste em muitos blogs:
"Barbara Guimarães recebeu até Outubro de 2001, durante todos os meses, 5.000 euros (1000 contos) do Ministério da Cultura para realizar um curto programa diário na RDP-Antena 1. Ao todo foram 60.000 euros (12 mil contos) recebidos em 2000 e cerca de 4500 a 5000 euros por mês em 2001.
Ou seja, o Estado português gastou com Barbara Guimarães um total de 110.000 euros. Tudo graças a amizade então existente entre o ministro da Cultura e a conhecida estrela de televisão.
Manuel Maria Carrilho subsidiou o programa, um pequeno magazine cultural de cinco minutos transmitido de segunda a sexta-feira na RDP- Antena 1. Os 5.000 euros mensais atribuídos por Manuel Maria Carrilho a Barbara Guimarães foram pagos através do Fundo de Fomento Cultural, entidade tutelada pelo Ministério da Cultura e presidida pela actual secretaria-geral do ministério, Helena Pinheiro Azevedo."

Não encontrei a notícia em nenhum dos principais jornais nem qualquer desmentido. Será apenas um boato?
Ou Manuel Maria Carrilho usou mesmo o nosso dinheiro para engate?
Procuram-se provas.

Correu o boato que a senhora constante no anúncio abaixo era filha do próprio ministro Alberto Costa.

É mentira, a senhora não é filha do ministro:

No entanto, subsistem as dúvidas de quem será familiar ou amigo, para conseguir um emprego de "acessoria à manutenção" de um site de internet por mais de 3200 euros mensais.